468x60

14 de ago de 2011

Cabeamento

Fiz essa sintese de um artigo da Studio R e da Autosom.net, acompanhem a baixo algo pouco falado mas muito necessário para ter um sistema sonoro de boa qualidade.
O artigo original da Studio R pode ser encontrado aqui .
E o artigo da Autosom.net pode ser encontrado aqui .


Dimensionamento de Cabos para o Sistema de Força (AC)

e para as Caixas Acústicas(adaptado)

Ruy Monteiro e Rosalfonso Bortoni 


Objetivo
           
            O nosso objetivo é determinar qual será a bitola do cabo mais indicada para uma determinada aplicação (ou determinadas aplicações), pois vale lembrar que qualquer condutor, por melhor que seja, apresenta uma resistência elétrica, que se traduz em perdas de potência.
            Cabos de pequenas bitolas são mais baratos, têm maior resistência elétrica (maiores perdas) e menor capacidade de transferência de potência; em contrapartida, cabos de grandes bitolas são mais caros, têm menor resistência elétrica (menores perdas) e maior capacidade de transferência de potência.
            Isso significa que se economizarmos nos cabos estaremos perdendo potência, ou seja, gastaremos mais com os amplificadores. Mas se superdimensionarmos os cabos (bitolas exageradamente grandes) teremos uma capacidade de transferência de potência muito maior que a potência disponível nos próprios amplificadores, o que é desnecessário...
            Temos que chegar a uma solução de compromisso, objetivando um equilíbrio do sistema.

 
O Sistema

Na Figura 1 estão representadas as interligações Força(AC)/Amplificador e Amplificador/Caixa, de forma simplificada, para uma fácil visualização do sistema.   




Figura 1 – Sistema simplificado de interligações.

            A potência que o amplificador consumirá da rede será uma função da potência que ele estará fornecendo à caixa acústica que, por sua vez, é uma função do programa de áudio que está sendo processado (amplificado).
            Por razões que veremos mais adiante, vamos tratar separadamente os cabos de força e os da caixa acústica.


Cabos de Força

            Como vimos, a potência consumida por um amplificador é função do próprio programa de áudio, o que nos impõe a necessidade de classificá-lo quanto ao seu valor médio, que denominamos de "Ciclo Útil".

            A Tabela 1 nos dá essa classificação para vários tipos de programas, inclusive ruído rosa e sinal senoidal
 Podemos ver que um programa musical tipo Rock’n Roll provocará um consumo médio de potência no máximo igual a 40% da potência nominal do amplificador! Evidentemente isso se refletirá no consumo médio de potência da rede (AC).

A corrente de consumo eletrica será encontrada no manual do seu amplificador, com esse dado em mãos podemos determinadar a bitola necessária para o cabo de alimentação com o auxilio dessa tabela.


Cabos da Caixa

            Devido à baixa impedância das caixas acústicas (comumente 8W, 4W ou 2W, dependendo da configuração), um cabo mal dimensionado (com resistência total mesmo na ordem de centésimos de Ohm) provocará perdas elevadas de potência, pois passará a ser uma carga, em série com as caixas, para o amplificador.

Seguindo as orientações a seguir você conseguira determinar facilmente os cabos certos para seu alto-falantes, tweeters, drivers e afins.

Primeiro essa tabela pra descobrir a corrente que vai circular no seu sistema.

Após descobrir a corrente no condutor pela tabela acima, verifique na tabela a baixo para descobrir a seção do cabo a ser utilizado. 

 Se seu cabo não foi bem projetado, você está perdendo potência no meio do caminho até o alto-falante. Mas quanto de perda de potência? É isso que a tabela abaixo tenta mostrar.



Mais uma dica que aprendi na STE(Sistema trio Eletrico) é melhor fazer o cabeamento individual pra cada falante/driver, do que puxar um fio de bitola grossa e subdividir ele em varios de bitola menor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Contato

Contato@ somautomotivopb.com

Total de visualizações